Destaque

Casa do Educador do Seixal

Casa do Educador

António Henriques

Acaba de sair no jornal “Comércio do Seixal Sesimbra” este meu artigo, que agora vos ofereço:

CASA DO EDUCADOR DO SEIXAL – 13 ANOS
Faz hoje 13 anos que nasceu a Casa do Educador do Concelho do Seixal, por escritura pública em cartório notarial. Impõe-se, a meu ver, uma reflexão sobre este aniversário, já que não abundam as iniciativas que mexem com as nossas vidas e esta mexeu mesmo com muita gente.
1 – O começo:
Antiga Delegação EscolarUm grupo de carolas avança com a criação de uma associação que reunisse os trabalhadores das nossas escolas, aqui no concelho do Seixal, contra a opinião da forte Associação Nacional de Professores, já com duas ou três casas-lares que serviam bem os professores e que achavam que estávamos a criar mais uma capelinha… Mas os nossos objectivos eram outros: queríamos encontrar-nos uns com os outros, conviver aqui e agora sem termos que nos ligar a Setúbal, que ficava muito longe.
Começámos pequeninos, com convívios semanais, algumas visitas de estudo e sessões culturais numa sala e uma cozinha que antes era da Delegação Escolar do Seixal, na Amora. E fomos criando comunidade, mais sócios e convivas, até que achámos que podíamos oferecer novos serviços ao meio envolvente.
2 – Mais abertura ao meio:
No seu quarto ano de vida, a Casa do Educador do Seixal (CES) cria uma Universidade Sénior – a UNISSEIXAl, que, para funcionar, utilizava 12 espaços diferentes nas escolas com alguma sala livre, no Auditório da Junta de Freguesia de Amora e na sala da associação. Logo no primeiro ano, aderiram 239 alunos.
O crescimento das actividades formativas e de convívio social forçou a Câmara a emprestar-nos mais espaços e em Dezembro de 2008 a CES tomou posse do rés-do-chão do edifício centenário na Rua Cons. Custódio Borja, nº 1, 2845-445 AMORA. Foi um passo em frente, embora os sócios e muitos colaboradores da CES avançassem sempre para novos e maiores objectivos.
3 – Mais serviços:
Com nova valência, a CESVIVER, fomos enchendo de vida a solidão de pessoas (20/30) que já não podiam ir para a Unisseixal, criando actividades na sede em todas as terças-feiras e oferecendo-lhes actividades, como Alfabetização, Chi Terapia, visitas de estudo…
E a UNISSEIXAL cresce todos os anos a olhos vistos, pelo que em Outubro de 2010, a Câmara Municipal do Seixal ofereceu-nos um espaço maior, com nove salas, no Seixal (Largo dos Restauradores, nº 21), onde hoje decorrem as aulas teóricas e práticas, com as turmas de movimento e som (danças, música, instrumentos, teatro) a funcionar no muito acolhedor Centro Cultural e Desportivo das Paivas.
4 – Hoje é assim:
Para resumir em poucas palavras o que a CES representa hoje no concelho do Seixal, pego no seu Relatório de Actividades de 2014 e verifico que no ano passado houve lugar às seguintes actividades:
– Quatro apresentações de livros de sócios e amigos;
– Vinte visitas de estudo na região e duas viagens ao estrangeiro, à média de 50 participantes;
– Doze quartas-feiras culturais, habitualmente no auditório da Junta de Freguesia de Amora;
– Catorze sessões de trabalho (workshops) sobre os mais variados temas;
– Quatro exposições artísticas nos seus espaços, de sócios ou alunos;
– Três idas ao teatro, algumas com mais de 100 pessoas;
– Catorze participações dos seus grupos musicais e de dança em lares e em várias actividades comunitárias;
– Somem-se a tudo isto as actividades das aulas semanais para 622 alunos, 106 turmas, 85 disciplinas, 72 professores e cinco espaços de ensino.
É obra! E é o voluntariado a movimentar este grande barco…
5 – Considerações finais:
Hoje mesmo, dia 28 de Outubro, a Direcção da CES entregou as chaves da sua sede na Amora, que vai entrar em obras da responsabilidade da Câmara Municipal do Seixal, para recuperação total do edifício. Louvo por certo esta iniciativa, até para conservar o edifício de bela traça novecentista. Mas durante mais de um ano a CES fica tolhida nas suas actividades, até porque a solução que a autarquia arranjou para sede provisória na Rua Bafatá, nº 13, na Cruz de Pau (junto do Centro Comercial Belsul), não espelha grande apreço por esta associação, quer pela exiguidade do espaço quer pelo seu estado de conservação. Merecíamos mais…
Amora, 28/10/2015
António Henriques

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *