Ida à Opera

A Casa do Educador foi à Ópera

No da 20 de abril mais de meia centena de sócios e amigos da Casa do Educador deslocaram-se ao Teatro Nacional de São Carlos, em lisboa, para assistir à representação da Ópera, “I Capuleti e I Montecchi”, considerada a mais notável ópera sobre Romeu e Julieta da era do bel canto.

Um magnifico espetáculo, com uma encenação e coreografia excecionais, que a todos encantou e surpreendeu, aspetos que foram tema de conversa na viagem de regresso, com o professor Jaime Ribeiro a fazer a sua interpretação de aspetos que levantaram mais discussão como foi o caso da interpretação de Romeu ser feito por uma atriz.

Foi uma tarde/noite cultural de grande qualidade que nos satisfez, na linha em que a Casa do Educador nos tem habituado e que sócios e amigos que nos têm acompanhado tanto apreciam.

Segue-se a fica técnica do espetáculo bem como uma pequena nota explicativa publicada no anúncio da peça, no sitio do Teatro Nacional dde São Carlos.

Direção Musical – Giampaolo Bisanti
Encenação – Arnaud Bernard
Cenografia – Alessandro Camera
Figurinos – Carla Ricotti
Desenho de Luz – Arnaud BernardStella Kaltsou

Giulietta – Mihaela Marcu
Romeo – Alessandra Volpe
Tebaldo – Davide Giusti
Capellio – Luís Rodrigues
Lorenzo – Christian Luján

Coro Teatro Nacional de São Carlos
Maestro Titular – Giovanni Andreoli

Orquestra Sinfónica Portuguesa
Maestrina Titular – Joana Carneiro

Produção
Fondazione Arena di Verona, Teatro La Fenice

A tragédia dos jovens amantes de Verona inspirou literalmente dezenas de óperas, a maior parte delas baseadas na obra de William Shakespeare. Todavia,  I Capuleti e i Montecchi não se baseia nela, mas sim numa história da Renascença à qual o próprio bardo inglês recorreu. Dada a premência da encomenda para o Carnaval de Veneza de 1830, Felice Romani adaptou um libreto que havia escrito para a ópera homónima de Nicola Vaccai e Bellini reutilizou grande parte do que escrevera no ano anterior para Zaida (1829), inspirada na obra de Voltaire. A estreia de I Capuleti e i Montecchi foi um sucesso, tornando a obra a mais notável ópera sobre Romeu e Julieta da era do bel canto. Composta aos 29 anos de idade, a obra é considerada por muitos como o início do período de maior maturidade do compositor onde ele revela um inspirado sentido da estrutura musical e da efusão melódica num estilo que floresceria ainda mais esplendorosamente em obras posteriores, tais como Norma e I Puritani. Esta produção da Fondazione Arena di Verona Teatro La Fenice tem viajado por muitos teatros líricos da Europa. O maestro Giampaolo Bisanti está de volta após a direção musical de Messa da Requiem, de Verdi, em 2016, e de Anna Bolena, de Donizetti, na anterior temporada.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *